Vinhos que acompanham chocolate

Hoje o Club da gula irá falar sobre os vinhos indicados para acompanhar chocolate! Porque afinal os vinhos podem ser acompanhados de várias coisas além de queijo e jazz ou blues, o que você preferir!

Bom, não são muitos os vinhos que caem bem com chocolate, o sabor forte do cacau dificulta a harmonização e pede bebidas adocicadas. Eis aqui alguma delas:




Petit Verdot Gran Reserva 2006, Casa Silva - Valle del Colchagua - Chile
Vinho seco, tem cor vermelho-vivo, com tons de violeta. Aroma de morango, frutas negras e bala toffee. A Petit Verdot, por gerar vinhos escuros, é usada em blends com outras uvas, além de ser ótimo para acompanhar chocolate.
Preço: RS 50




Banyuls rouge 2006 - França
Vem da região do Roussillion, aos pés dos Pirineus, no sudoeste da França. É o vinho tinto doce que é considerado o par perfeitos dos chocolates amargos e meio amargos.
Preço: R$ 80




Sauternes Château Doisy Daëne 2002, Grand Cru Classé, Denis Dubourdieu, Bordeaux - França
Vinho doce, acompanha sobremesas finas como frutas, bolos, tortas, além de ir bem com queijos como Gorgonzola e Roquefort.
Preço: R$ 275




Porto 10 anos Royal Oporto, Real Companhia Velha, Douro - Portugal
Produzido na região que estende-se ao longo do Rio Douro e seus afluentes até Barca D'Alva e abrange os Distritos de Vila Real, Bragança (sou chique bem!), Guarda e Viseu.
Preço:R$ 171




Mavrodaphne of Patras 2000 - Grécia
Especialidade do norte do Peloponeso, é um vinho tinto naturalmente doce, não fortificado (diferentemente dos vinhos po Porto). Elaborado com uvas mavrodaphne e envelhecido em barricadas por seis anos.
Preço: R$ 88




Tem um post bem interessante sobre vinho e chocolate nesse blog, escrito por verdadeiros críticos de gastronomia.


Ah! E sobre as músicas que combinam com vinho, cada pessoa tem um gosto! Perguntei pra várias, umas falaram que vinho combina mais com música francesa, outras falaram que combina com musica argentina, outras com mpb, bolero, blues ou jazz... Nesse blog tem um post sobre quais músicas combinam com quais vinhos.

Cartola, cartola e cartola

Saiba mais sobre as três nuances da simples palavra "cartola".
Essa sugestão veio da Manu, grande amiga minha recifense e preta gostosa!



Contatos:
COMIDA PERNAMBUCANA: CORDEL Restaurante e Bar
Rua Aspicuelta, 471, V. Madalena
Telefone: 11 3375 0471

MULHERES BRASILEIRAS: Vanessa da Mata. Participações especiais: Maria Gadú, Mallú Magalhães e D.Ivone Lara.
30 de abril, às 22h00
Via Funchal

Esmaltes & Doces

Pois é caro leitor... Esmaltes e doces estão mais relacionados do que você imagina...

Quer ver só?

Aperta o play!






Bom, eu sei que o vídeo não ficou muito bom, principalmente o áudio... Conhece a Murphy? Ela está ao meu lado! Não conhece? A Lady Murphy? Também conhecida como Lei de Murphy. Pois então, as coisas deram meio errado essa semana. E o vídeo foi uma delas... E olha que não deixei pra fazer na última hora não, comecei a fazer terça... E só terminei agora... Essa tal tecnologia veio pra ajudar, mas ela também atrapalha bastante... Mas não posso reclamar do meu computador... Ele faz tudo tão certinho e bonitinho... Só nessa semana que ele resolveu se rebelar contra mim... Mas acontece! Enfim, conseguimos (o computador e eu)!

Espero que você tenha gostado do vídeo, saiba que eu fiz com todo amor e carinho, mesmo estando com a garganta inflamada e com febre... Pois é, fui cabeça dura e não quis tomar remédio... Queria criar resistência, vê se pode?? Só mesmo uma pessoa burra feito uma porta pra pensar assim... Depois de uma semana meio mal, resolvi me render... Acabei de tomar um remédio e acho que a febre tá passando, tá meio quente aqui... Tomara que a Murphy vá embora junto com a febre!


Observação: As cores com nome de doce são muito parecidas, a maioria puxa pro lado do marrom. É marrom meio vermelho, ou meio preto, ou meio roxo... Não dá pra ver muita diferença nessas cores. Se você pegar os esmaltes café italiano, jabuticaba e calda de chocolate vai ver que são todos muito parecidos, todos marrons!

Agradecimentos para todas as mulheres do Salão Bonassi, que foram muito simpáticas comigo, e para minha querida mãe, porque se não fosse por ela não sei o que seria de mim!

Mais um guia

Hoje na aula de Sistemas Virtuais (motivo pelo qual postamos aqui todas as semanas), aconteceu uma avaliação sobre alguns blogs da sala. O Club da Gula defendeu em voz alta que não seria mais um guia sobre docerias em São Paulo, e que iria trazer para o mundo dos gulosos deliciosas comparações com doces e arte (música, cinema, cultura). O nosso professor, Sandano, alertou para não nos perdermos com essas relações, e nos focarmos em ganchos. Não sei se a aula de hoje serviria como um gancho... mas hoje, eu serei um próprio guia que indicará guias gastronômicos de São Paulo.
Antes de mais nada, gostaria de agradecer aos nossos leitores, e queria ressaltar que vocês devem continuar pedindo pautas para gente! Temos uma lista com, pelo menos, três matérias requisitadas por vocês.
Voltando aos guias. Talvez o mais conhecido de todos seja o Guia Folha. Ou pelo menos quando pensamos em guia, pensamos na Folha. Como o próprio nome já entrega, esse guia é literalmente um guia. A descrição dos restaurantes não é detalhada, e, sim, bastante objetiva.
Agora, preciso admitir que um belo dia, eu a Ju fomos enganadas pelo guia. Não só pelo guia, mas como por outros blogs que tinham comentado sobre essa doceria. Quando pensamos em um estabelecimento destinado a doces, geralmente, imaginamos que um dos requisitos é a aparência agradável e fofa, como uma casa de boneca. Nesse dia, eu queria experimentar o doce mil folhas. Encontramos, pelo Guia Folha, essa doceria que venderia um mil folhas parecido com os das docerias cariocas (e eu posso alegar que são magníficos!). Enfim, o Guia Folha nos deu as coordenadas certas, e chegamos com facilidade ao local. Não entramos. O lugar não era fofo, nem agradável. Parecia uma padaria de bairro, daquelas de esquina, cuja renda deriva dos engarrafados alcoólicos. Não vou falar o nome da doceria, porque eu nunca experimentei os doces de lá. Talvez o mil folhas fosse tão bom quanto o carioca...
Outro guia muito fácil de usar é o Guia da Semana. Lá é bem organizado: tipo de cozinha, região, e gasto (quanto você quer pagar). Além disso, existe a possibilidade do leitor criticar e avaliar os restaurantes e as informações dadas pelo site (muito esperto, mas perigoso). O defeito seria a quantidade de publicidade. Às vezes fica muito chato de navegar pelo guia. Ah, outro ponto positivo é que esse guia não se focaliza apenas na cidade de São Paulo; como eu não sou daqui, e prezo pela minha terrinha, acho isso muito importante, mostrando o valor de outras capitais brasileiras.
Bem, por último, mas não menos importante, temos um guia que foi avaliado pelo professor Sandando, hoje, em sala de aula, é o Giro Gourmet. Criado por Júlia Tatto, Letícia Paiva e Letícia Vieira, o blog dá uma perspectiva da culinária brasileira, não se restringindo apenas aos doces, ou aos restaurantes, mas trata, também, dos chefes de cozinha e de eventos culinários que ocorrem no Brasil. Vale a pena conferir.

E você, karo leitor? Você lê algum guia? Tem preferência por algum? Já descobriu docerias incríveis apenas com as placas de São Paulo? Ou prefere indicações de amigos?...

Sorvetes


Hoje vou falar sobre sorvetes, mas saiba que isso será um martírio para mim porque estou super gripada, com a garganta inflamada e com o nariz ruim. E para piorar tem um solzinho bem quentinho lá fora, o que significa que o dia está propício para sorvetes.

Inicialmente pretendia falar sobres doces azuis, porque no último post falei sobre um doce azul que comi, então resolvi pesquisar mais sobre isso, mas descobri que não existem muitos doces azuis por aí... O que achei de azul foi algodão doce e sorvete, então resolvi falar sobre sorvetes! Um item muito importante na lista dos doces... Quem sabe outro dias colocamos o algodao doce como tópico a ser discutido!

Eu tenho apenas uma crítica ao sorvete, e ela vai especificamente para o sorvete de dois litros. Essa crítica deve-se ao fato de você abrir o congelador, ver um pote de sorvete, se animar todo com isso, abrir o pote e... O que tem lá dentro?? FEIJÃO!! Isso mesmo! Feijão congelado, que sua mãe, com tanto amor e carinho, preparou antecipadamente! É tão frustrante isso... Achar que era sorvete e ver que na verdade é feijão...



Bom, fora essa crítica, que nem se refere ao sorvete em si, e sim à reciclagem do seu pote, o sorvete é realmente algo maravilhoso! Ainda mais se você estiver na praia, debaixo daquele sol de 39ºC... Bom né?! Só tome cuidado pra não escolher o de limão e depois ficar com a pele toda manchada... Eu tenho uma mancha de limão... Sabe como é né... Crianças que se babam toda tomando sorvete na praia... Isso que dá...

Dizem por aí que foi Nero, aquele imperador romano, que mandou trazer neve e gelo das montanhas para misturar com as frutas e daí surgiu o sorvete! Mas adicionar leite foi ideia do imperador chinês King Tang, que usava também água do rio... Esses sorvetes antigos deveriam ser horríveis! Nada como um Häagen-Dazs, não?

O bom do sorvete é a companhia! O legal mesmo é tomar sorvete conversando com alguém ou com mó galera! Sorvete sozinho é muito sem graça, o bom é quando todo mundo toma junto e fica conversando! Sabe aquele almoço em família que tem sorvete de sobremesa? Ou quando você sai com todos os seus amigos pra tomar sorvete... O sorvete é só uma desculpa pra ficar junto... Pois é... parece até que ele fortalece a união, depois dele todo mundo fica feliz!

E sobre as calorias do sorvete, você não deve perder seu sono por causa disso. Eu concordo com o Jô Soares, ele disse algo do tipo: "Sorvete não tem calorias. Calorias é unidade de calor.. e sorvete é gelado..."

Um Chá...


Com essa tendência de falar sobre artigos relacionados à história de Alice no País das Maravilhas, o Club da Gula vai entrar nessa, e, hoje, eu vou comentar sobre o chá. Sabia que o chá é a segunda bebida mais consumida no mundo? Só perde para a água. Na verdade, eu tomo como se o chá fosse assim: uma água fervida com folhas. No fim das contas, é água...
Nesse frio, com esse céu azulado e sol morno, uma das melhores pedidas para a tardezinha é um doce esfarelento e seco acompanhado de um chá bem quente. Essa cena, para muitos, não é nada agradável, já que não faz parte da cultura brasileira. Eu até gostaria de incorporar esse hábito para minha vida, mas eu gosto mesmo é de um chocolate quente, ou capuccino, ou, até mesmo, do próprio café preto.
No entanto, em algumas culturas, o chá faz parte de um ritual de confraternização. Pela Europa, nós conhecemos o famoso Chá das Cinco, que tanto se assemelha com um capítulo em que Alice conhece o Chapeleiro, e se depara com uma mesa de chá infinita (cap. 7, Um Chá Maluco). O chá foi criado no século XIX, pela Duquesa de Bedfort, com o intuito de exibir maravilhosas peças de porcelana e de prata. Com o tempo, foram criadas regras, etiquetas e um cardápio específico para o consumo do chá.
Nossa mania de adquirir hábitos internacionais, abre espaço para casas como a Fundação Maria Luísa e Oscar Americano. Instituída por Oscar dois anos após o falecimento de Maria Luísa, a Fundação é um verdadeiro refúgio na cidade de São Paulo. Localizada na Avenida Morumbi, a casa conta com um acervo de obras de arte, um extenso parque, além de um Salão de Chá. Com uma decoração vovó-chique, o Salão recebe pessoas com reservas (você pode até arriscar em ir até lá sem ser convidado...), uma vez que ele é utilizado para festas de crianças riquinhas, e conversas entre dono de empresa e futuro-sócio.
No guia Veja São Paulo de 2002/2003, a Fundação recebeu um selado e garantido de qualidade, harmonia e charme. Veja os elogios
Ultimamente, o chá tem chamado atenção da mídia por causa da morte de Glauco. Se bem que essa poeira já baixou. Acontece que, o chá, muitas vezes, é relacionado com religião, ou até mesmo com doença – são os conhecidos chazinhos. Tá com dor de barriga de tanto comer doce? Toma um chazinho de erva doce!

[...]
“E desde aquele momento,” continuou o Chapeleiro, desolado, “ele não faz o que peço! Agora são sempre seis horas”
Alice teve uma ideia luminosa. “É por isso que há tanta louça de chá na mesa?” perguntou.
“É, é por isso”, suspirou o Chapeleiro; “é sempre hora do chá, e não temos tempo de lavar a louça nos intervalos.”
“Então ficam mudando de um lugar para o outro em círculos, não é?” disse Alice.
“Exatamente”, concordou o Chapeleiro, “à medida que a louça se suja”
“Mas o que acontece quando chegam de novo ao começo?” Alice se aventurou a perguntar
[...]

Adora doces

Quase na esquina da Alameda Campinas com a Alameda Lorena, bem pertinho de uma Ofner há um lugar pra quem adora doces, a Adora doces. Doceira de mão-cheia, a paulistana Dora Razuck começou a preparar guloseimas quando tinha 18 anos. Foi ela a responsável pelos quitutes de suas próprias festas de noivado e casamento. Os elogios foram tantos que, em 1994, inaugurou uma primeira loja na Alameda Campinas. A segunda loja, inaugurada 4 anos depois, fica em Moema, na Alameda Nhambiquaras, 1388.



Na tarde de hoje lá fui eu conferir se esse tal lugar é um verdadeiro centro dos adoradores de doce, como eu. Um lugar pequenininho, bem acomchegante e com uns doces de encher os olhos. Experimentei o miolo do bolo de brigadeiro (em cima tem um pedaço de chocolate escrito Adora doces, que é a parte mais gostosa do doce), que é um mini bolo, para uma pessoa, e um macarrão doce, acho que era de amêndoas. Tinha um de maracujá, mas o que comi era azul, por isso que escolhi esse, é muito raro comer algo azul...




O melhor de tudo é que lá nem é tão caro, o miolo do bolo, o macarrão doce azul e um café expresso custaram R$ 12,20. Um preço bem razoável. O lugar é muito bom e o atendimento também, todos são simpáticos e levam seu pedido na mesa. A melhor parte foi que esqueci um guarda-chuva lá e eles guardaram pra mim, ainda bem porque o guarda-chuva não era meu e parece ser bem caro...

Além dos doces, lá também tem bolos, tortas e salgados, eles tem delivery e aceitam pedidos para festas. Ah, a linha diet parece ser bem gostosa também, qualquer dia experimento! Servem almoço, de segunda a sexta um prato diferente figura no cardápio. As opções passam pelas massas, como nhoque, fettucini e talharine, e pelas carnes e peixes.

Tem uns noivinhos de biscuit muito lindos no site, passa lá pra ver!

Shakes

Aperta o play!

video

Essa é minha segunda violação (veja a primeira aqui)! Primeiro que eu estou postando num domingo, e os meus dias são os de segunda. Segundo que eu tive que publicar meu vídeo pela ferramenta do Blogger (muito devagar), porque o Youtube cancelou o áudio do vídeo, por quebrar acordos de direitos autorais. Pura besteira. Em tempos de download gratuito, os direitos autorais deixaram de ser direito para virarem assunto recorrente. Quem gosta de comentar muito sobre isso, é a cantora Lily Allen , cuja posição é muito bem tomada e articulada (os escritos desse link estão em inglês, mas é uma leitura fácil, recomendo). Mas esse não será o motivo do post [...]

Bem, como você viu (ou não), o assunto de hoje é o shake! Tudo porque, eu queria fazer um vídeo com trilha sonora dos B 52's, com a música Love Shack. Enfim, o vídeo fala de shakes que engordam e emagrecem. Eu e a minha amiga Ju, a de quinta, fomos até o Mr. Mix Milk Shake, localizado na Maria Antônia, próximo ao Mackenzie. Eu pedi um de Ferrero Rocher, e a Ju, Kinder Ovo. Acabei por descobrir que a Mr.Mix é a maior rede de franquias especializada em milk shake no país, e oferece uma variedade de 50 sabores do produto.
50 sabores! Veja o vídeo, e confira todos os tipos!
Também falei dos shakes que emagrecem. Na verdade, de shake eles não têm nada, está mais para um leite batido, do que qualquer outra coisa. Muita gente conhecida já tomou desses shakes. Você pode ser uma delas! Funciona? Funciona! Mas não é a melhor opção. Escolha o caminho mais saudável: coma doces e salgados, e pratique esporte, faça exercícios!

Feliz Páscoa pra você também!

Por Juliana Bragança

Amanha é sexta-feira da paixão e por isso esse post será sobre a Páscoa. E então, já escolheu o seu ovo de chocolate? Huuummm... é uma verdadeira tentação a quantidade de chocolate que encontramos em cada esquina nessa época do ano! Segundo Jean Anthelme Brillat-Savarin (1755 - 1826), "De cada dez pessoas, nove dizem que adoram chocolate. A décima está mentindo".

O cacau era conhecido desde 1000 anos a.C. na América Central, mas apenas chegou à Europa em 1527, e foi aí que a coisa começou a não prestar. O chocolate, além de muito saboroso, tem um sério problema, ele vicia! A história dessa delícia é pontuada por diversos conflitos, um deles foi a proibição imposta pela Igreja Católica que não permitia que se comesse chocolate no período da Quaresma, tempo de jejum e penitência para seus seguidores, que dura do carnaval até a Semana Santa. Aí já é demais, né? Além de proibir o sexo antes do casamento a Igreja tava proibindo o chocolate... A vida assim seria uma total privação!! Mas esse problema foi resolvido pelo papa Pio V em 1569, que aliviou a pressão e decidiu permitir o cacau na forma de bebida durante a Quaresma. E foi daí que surgiu a tradição de dar chocolates na Páscoa, assim quando terminava a Quaresma, as pessoas podiam se empanturrar de chocolate sólido à vontade.

Você já viu aquele filme Chocolate, de 2000, com o Johnny Depp? O filme fala sobre essa prática de não comer chocolate na época da Quaresma, é bem boa a história! Aqui está o trailer, só que não está legendado. So, test your english:



E saiba de uma coisa: os ovos de Páscoa têm menos manteiga de cacau que os chocolates comuns, isso porque o ovo derreteria muito fácil se tivesse a quantidade usual. A manteiga de cacau é substituída pela gordura vegetal hidrogenada, que é mais resistente ao calor e custa bem menos. Mas mesmo tendo ingredientes mais baratos, os ovos de Páscoa são mais caros que os chocolates em barra, interessante isso, não? Nada como ter a certeza de ter seu produto vendido não importa o preço, na Páscoa é esperado que todos comprem ovos de chocolate, então pode deixar bem caro porque as pessoas vão comprar de qualquer jeito.

Só pra comparar, um ovo de Páscoa de 160 gramas custa, em média R$ 20,00 enquanto uma barra de chocolate do mesmo peso custa R$3,50! E se você for nas lojas Americanas você compra 3 barras de chocolate por R$ 10,00, dá pra acreditar? São 480 gramas de chocolate por R$ 10,00, é quase meio quilo de chocolate por R$ 10,00!!! Se fosse em ovo de páscoa seria uns R$ 60,00! Seis vezes mais... Pois é meu amigo, é isso mesmo, um absurdo! Tudo por causa da tradição! E ainda dizem que na modernidade as tradições vão por água a baixo... Isso só quando elas não estão ligadas ao consumo...